Ato de Repúdio à Cultura do Estupro

Spread the love

O Ato de Repúdio à Cultura do Estupro foi organizado por diversas ativistas feministas no dia 29 de maio, domingo. Concentradas nas proximidades da Feirinha da JK, no centro de Foz do Iguaçu, repudiaram todas as violências contra a mulher e reivindicaram direitos. O Ato também foi pedagógico e de conscientização e contou com manifestações culturais. A presidenta do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, Cristina Blanco, foi uma das articuladoras do Ato, oferecendo a sede da entidade para o Encontro de Mulheres-ativistas, realizado na noite de 27 de maio, envolvendo cerca de 40 mulheres e que deliberou pelo Ato Público. (Saiba mais sobre o Encontro). Ainda no dia seguinte, 28, a entidade acolheu uma Oficina de Cartazes, onde as ativistas produziram os cartazes e banners para o Ato. (Veja algumas fotos da Oficina).

O Ato envolveu cerca de 150 à 200 pessoas, que reuniram-se na Praça da Paz, percorrendo a Feirinha da JK e a Praça do Mitre. O Ato também reivindicou o Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos, extinto pelo governo provisório do presidente interino no início de maio. A organização do Ato  envolveu o Centro de Direitos Humanos e Memória Popular, coletivos como Ciranda Feminista, Marcha das Vadias Foz e Libertinas, Martina Vive, APP-Sindicato, o Conselho da Mulher, dentre outras entidades.