Somar força pra fazer as mudanças que queremos

Spread the love
Vamos lá....
Ajude a construir um CDHMP mais forte!

Ativistas do Centro de Direitos Humanos e Memória Popular começaram a elaborar o plano de ação para o segundo semestre. A primeira conversa ocorreu no sábado (14). O segundo encontro será na tarde sábado, 21, às 14h30, quando iremos melhorar e concluir o calendário de julho a dezembro.

No primeiro encontro, os militantes fizeram uma análise das atividades realizadas e apoiadas de janeiro a junho, bem como ações, representações, participações e conquistas. Também fizeram a autocrítica das ações não realizadas.  Iniciaram ainda a conversa sobre a proposta de iniciar um PROGRAMA em escolas, além de colher propostas de eventos.

Leia abaixo a memória da reunião do sábado (14). O CDHMP reforça a importância da  participação nessa etapa da construção coletiva para mantermos o ritmo das ações e corrigirmos os problemas enfrentados na caminhada em defesa dos direitos humanos em Foz do Iguaçu.

Participe. O CDHMP fica na Alameda Batuíra,146 – Vila “A”, pertinho do Instituto Federal do Paraná (IFPR), antigo Floresta Clube. Clique aqui para ver o mapa.  Se possível, confirme sua participação pelo email cdhfoz@gmail.com ou telefone: (45) 3025-4947.

 


MEMÓRIA REUNIÃO CDHMP
Sábado, 14 de junho de 2014

Pauta 1: análise ações primeiro semestre.

O CDHMP realizou ou apoiou as várias ações desenvolvidas num ritmo acelerado no primeiro semestre, muitas vezes além das nossas pernas. A partir delas poderíamos ter convidado mais pessoas para somar força na luta. A análise indica a necessidade de ajustar o foco para o segundo semestre, com um ritmo mais cadenciado e inclusivo (priorizar mais ações visando a população; evitar eventos isolados).

ATIVIDADES REALIZADAS PELO CDHMP

 * Debate degradação do trabalho nas indústrias e imigração com finalidade de trabalho escravo
Data: 25 de fevereiro

* Dia da Mulher
8 de março
A exibição do filme “A Fonte das Mulheres” foi substituída por uma roda de conversa de conversa sobre a morte da acadêmica uruguaia Martina Piazza Conde. O encontro deu origem ao Fórum Permanente Pela Paz – Contra a Violência.

* Oficina em Direitos Humanos
5 de abril
O Fórum Permanente pela Paz – Contra a Violência promoveu oficina sobre Direitos Humanos por uma Sociedade de Paz, com os professores Carlos Alberto da Silva e Antonio Neto Santos.

* Mostra Nacional de Cinema “Marcas da Memória”
2 a 10 de abril
Exibição de 10 filmes em escolas, universidades e organizações sociais e culturais.

* Formação política e educação popular
23 e 24 de maio
Três oficinas promovidas em conjunto com a UNIPOP, pelo advogado e militante político revolucionário, Acilino Ribeiro.

ATIVIDADES APOIADAS PELO CDHMP
*
Oficina de sensibilização do olhar com fotojornalista Áurea Cunha
22 e 23 de março

* Oficina de Língua Guarani, com professor Mário Ramão Villalva
15 de março

* Sarau Panambi Sexta da Poesia
11 de abril

* Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária
22 a 25 de abril

*Palestra de lançamento do livro: “A crise do Neoliberalismo”, com os professores Gerárd Duménil e Dominique Lévy.
6 de maio

AÇÕES, REPRESENTAÇÕES, PARTICIPAÇÕES E CONQUISTAS
* Conquista do título de utilidade pública por lei municipal em Foz.
* Retomada do jornal Manifesto.
* Criação do novo site do CDHMP
* Participação na IX Audiência Pública Estadual de Educação em Direitos Humanos do Paraná, com fala em nome do CDHMP (em 25 de abril).
* Participação no GT Extensão e comunidade na Unila (em 13 de maio).
* Participações no Conselho Universitário da UNILA.
* Encontro com Defensoria Pública em Foz do Iguaçu.
* I Semana de Integração Acadêmica da Unila, em 20 de março, num debate com a PM sobre segurança pública e direitos humanos.

ATIVIDADES PROGRAMADAS, MAS NÃO REALIZADAS!

* 90 anos Coluna Prestes
24 de abril

* Dia do Trabalhador
1º de Maio

* Capacitação Campanha da Fraternidade
Tema: “Fraternidade e Tráfico Humano” ‘


PAUTA 2: PLANEJAMENTO SEGUNDO SEMESTRE
O primeiro semestre foi dinâmico em ações, mas com foco difuso e alto grau de rotatividade de participantes. A prioridade do segundo semestre deve ser fortalecer o CDHMP por meio das ações do Fórum Permanente Pela Paz – Contra a Violência; com ações simultâneas de capacitação dos ativistas, quanto de um programa na base.

A proposta é realizar um PROGRAMA contínuo dentro um mesmo ambiente, com dinâmicas pedagógicas capazes de sensibilizar as pessoas, sobretudo os mais jovens. Ao mesmo tempo propõe-se manter as oficinas direcionadas aos ativistas. Teoria e prática ao mesmo tempo: uma ação vai alimentar, inspirar e oxigenar a outra.

É preciso dar maior atenção aos atendimentos de base. Após o boom de ações públicas, o CDHMP foi procurado para acolher denúncias de violações em carceragem, desapropriação, prisões arbitrárias, entre outras, e não conseguiu dar o devido acolhimento dos casos (receber a denúncia, dar eco e buscar solução).

Menor prioridade – Caso tenhamos pernas, vamos tentar manter as atividades/eventos independentes, mas com o esforço de promover o diálogo. É preciso, por exemplo, fazer o evento realizado em março dialogar com promovido em maio. E ambos com o trabalho do PROGRAMA (e vice-versa). Mais do que comunicar as pessoas por email, é preciso convidá-las pessoalmente (visitas, ligações, etc).

PROPOSTA DO PROGRAMA
O que: Circuito de direitos humanos em um bairro da cidade.
Local: a começar por uma escola do Três Lagoas, ou Vila C ou Porto Meira.
Conteúdo: Aplicação de 4 a 8 módulos temáticos sempre ligados aos direitos humanos, com foco na paz e não violência (temas: sociedade, mulher, violência contra criança e adolescente, mídia, etc).
Frequência: intercalados 1x por semana ou por quinzena.
Forma: rodas de conversas, vídeos, música, exposições, dinâmicas em grupo, varal de protesto e expressões culturais e artísticas.
Período: 1 escola durante 2 meses (quatro a oito semanas)
Material de apoio: viabilizar panfletos e cartilhas para serem deixadas nas escolas (conseguir com CDHs, ONGs ou governos estadual e federal).

DATA PARA DEFINIÇÃO DO PROGRAMA
Abrimos a proposta para o coletivo, via email, site e redes sociais, na segunda-feira, 16. Colhemos as contribuições ao longo da semana e batemos o martelo no próximo sábado, dia 21, às 14h30,no CDHMP.

RETOMAR AGENDA FORMAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS
A realização do curso foi prejudicada pela sobrecarga de ações e agenda. É compromisso do CDHMP retomar sua agenda.

Direitos Humanos e produtos culturais
Professora Gisele Ricobom
Local: CDHMP
Data: definir

 PAUTA 2.1 – EVENTOS SEGUNDO SEMESTRE

Em junho, a diretoria do CDHMP deve dedicar total atenção para fechar o calendário de eventos para o segundo semestre, respeitando a prioridade para o programa na escola. Já temos as seguintes atividades propostas:

  • 9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul, de 3 de novembro e 14 de dezembro.
  • Curso de formação “Como funciona a sociedade”, coordenado pelo historiador Danilo Georges, em setembro.
  • Oficina de Língua Guarani, segunda etapa, com professor Mário Ramão Villalva, em setembro.
  • Curso de fotografia, com a jornalista Áurea Cunha.
  • Minicurso de Execução Penal, em setembro ou outubro.
  • Circuito de filmes sobre comunicação, jornalismo e mídia, organizado pelo Sindijor.
  • Fórum sobre os modelos locais de mídia alternativa em Foz do Iguaçu, organizado pela Webradio Unila.
  • Organizar ida da Defensoria Pública Itinerante nos bairros.