Comunicação Popular e Direitos Humanos

Spread the love

icinas realizadas no CAIA – Centro de Atenção Integral ao Adolescente, no Porto Meira, debateram temas como Direitos Humanos, Comunicação Popular e Racismo. Essas oficinas são atividades extras do Ponto de Cultura “Cultura da Paz – Comunicação, Saberes e Arte para a Paz” mantido pelo Centro de Direitos Humanos e Memória Popular de Foz do Iguaçu – CDHMP. As oficinas foram ministradas por Samuel Cassiano, coordenador pedagógico do Ponto de Cultura.

Exibição do curta-metragem O Xadrez das Cores

Cada oficina contou com a exibição de um curta-metragem para instigar os debates. Foram exibidos: O dia em que Dorival encarou o guarda, História dos Direitos Humanos, Levante sua Voz e O Xadrez das Cores. Também foram utilizados outros recursos, como as imagens das gravuras de Jean-Baptiste Debret e Johann Moritz Rugendas, artistas europeus que retrataram momentos históricos do Brasil no início do século XIX, principalmente cenas que envolvem a escravização dos negros.

Das discussões realizadas durante as oficinas, surgiu a ideia da utilização da comunicação para levar conceitos de direitos humanos para outras pessoas, com cartazes, textos informativos, encenações teatrais e até mesmo um Fórum de debate. O objetivo é utilizar a comunicação popular como um instrumento de difusão dos direitos humanos, com o fim de construir uma cultura da paz. O conceito de Paz trabalhado nas oficinas refere-se à sociedade na qual os direitos de todas as pessoas são garantidos e respeitados.

Douglas Henrique, participante das oficinas comenta que “a atividade em sala é muito legal, aprendemos muito sobre os direitos humanos. A importância dos temas é 100% funcional no dia a dia, inclusive nos alunos. Também escolhemos temas juntamente com o professor.”

Em março, o Ponto de Cultura retomará oficialmente suas atividades. Serão três oficinas semanais: Comunicação Popular, Palavras e Visões para a Paz e Um olhar para a Paz, coordenadas respectivamente por Samuel Cassiano, Daniela Schlögel e Maurício Ferreira. As atividades do Ponto de Cultura também contemplam a realização de um cineclube mensal e um Festival ao fim do semestre.